Seu (a) filho (a) é terrível???

 Se essa é uma frase que você costuma repetir quando se reúne com outros pais, é hora de refletir um pouco sobre o que há por trás dessa afirmativa supostamente “inocente”.

Se seu (a) filho (a) é aquele tipo de criança que dá muito trabalho ou que tem resistência a obedecer as regras da casa ou da escola, comece a verificar alguns sinais de que, talvez, você seja a pessoa que mais contribui para que ele (a) continue reproduzindo esse comportamento inadequado…

Mas… como assim?

Bem, vejamos…

Nossos filhos tendem a querer chamar a nossa atenção a todo custo e sabemos que como nossa vida é muitas vezes atribulada em decorrência de trabalho, serviços domésticos e compromissos sociais, nem sempre conseguimos atendê-los como gostaríamos.

Pois bem, na tentativa de conseguir a atenção dos pais, é comum encontrarmos crianças que usam de inúmeros artifícios para garantir que os olhos e ouvidos dos adultos fiquem a todo momento sobre seus atos. É comum, também, que a criança comece a desenvolver comportamentos inadequados para que paremos para chamar a sua atenção.

E nesse momento, o que fazemos? Damos-lhe atenção… Ou seja, o comportamento inadequado alcançou o objetivo.

E sem que percebamos, vamos criando um rótulo para a criança, repetindo a todo momento e para todos, inclusive na presença dela, a célebre frase: esse (a) menino (a) é terrível!!!

Obviamente a criança, de tanto ouvir tal afirmação, passa a acreditar que realmente faz juz ao “título” e continua perpetuando aquele comportamento a fim de garantir sua “marca” já “carimbada” por seus pais. E, inconscientemente, se os pais relatam isso para outras pessoas, a criança pode se sentir importante por ser o assunto do momento.

E agora você deve estar se perguntando: “- É possível impedir que isso aconteça? O que posso fazer então para que meu filho melhore seu comportamento?”

Bem, é possível sim mudar tal situação. E se seu (a) filho (a) não é uma criança com CID, o que exige atendimento especializado, você verá que com paciência e persistência, poderá transformar seu comportamento. Portanto, preste atenção nas seguintes dicas:

  • primeiramente, é preciso diferenciar uma “traquinagem” de criança e um mal comportamento. O primeiro, é um fato isolado e o segundo é corriqueiro e constante, sendo reproduzido a cada situação de maneira mais ousada;
  • NUNCA repita a frase: “você é terrível” ou “essa criança é terrível” na frente de seu (a) filho (a) ou de qualquer outra pessoa. Isso só reforçará o comportamento;
  • escolha uma característica positiva de seu (a) filho (a) e reforce-a elogiando-a sempre que fizer algo positivo;
  • em conversas com outros pais ou familiares, comece a mencionar as características positivas de sua criança e diga o quanto se orgulha desse comportamento positivo;
  • quando a criança tentar repetir o comportamento inadequado, diga-lhe que ela é uma criança especial, obediente e ressalte suas qualidades, sem exacerbações ou exageros a fim de evitar a soberba. Isso fará com que a criança se sinta na responsabilidade de corresponder às expectativas positivas do seu comportamento adequado.

Após a sua mudança em relação ao comportamento da criança, você verá que ficará muito mais fácil conviver com ela, ressaltando suas virtudes. Assim, a criança naturalmente corrigirá o comportamento inadequado, ficando atenta para repetir as atitudes que despertam agora a sua atenção positivamente.

E então? Vamos tentar? Seu comportamento pode ser a diferença… pense nisso!

Um forte abraço e até a próxima!

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *