Pais x Escola: Como fazer dessa relação uma parceria?

Olá! Tudo bem com você?

Como anda a sua relação com a escola de seu filho? Esse relacionamento está tranquilo ou você anda preocupado com essa questão?

Hoje vamos refletir um pouco sobre esse assunto.

O ideal é que pais e escola se entendam de forma saudável com uma convivência harmoniosa, mas nem sempre isso é possível e há um desgaste nessa relação.

Mas por que isso acontece? E qual é a parte culpada dessa história?

A resposta é nenhuma das partes e ambas. Hein??? Como assim???

Já explicamos.

A escola, normalmente, mantem um diálogo muito teórico, o que afasta os pais do seu convívio. Esse é um dos maiores erros cometidos pelas instituições. Os pais desejam tratar de assuntos práticos, das questões do dia a dia com a sua criança. Por esse motivo, é comum que ocorram muitas críticas em relação à escola.

Você já foi convidado para assistir à uma palestra de um PHD em alguma área ou já se sentiu julgado ao compartilhar uma dificuldade que vem enfrentando com sua criança em casa? Isso, sem dúvida, é bastante desagradável, não é verdade?

Em contrapartida, há pais que não participam das atividades propostas pela escola, não acompanham o desenvolvimento de seus filhos, nunca vão à reunião com os professores e desconhecem completamente a proposta pedagógica da instituição.

Nesse caso, fica difícil cobrar algum resultado positivo, já que a escola é vista como um local distante da realidade da família. Normalmente, essas são as famílias que mais criticam as instituições de ensino, com discursos equivocados e fora de contexto.

E nessa relação conturbada e conflituosa, quem mais sofre é a criança. Primeiramente, porque se você não apoia a escola de seu filho, ele não irá respeita-la e não se sentirá bem no ambiente escolar, o que acarretará prejuízo para sua aprendizagem.

Assim sendo, a melhor proposta é que pais e escola desenvolvam uma relação de troca, o que trará crescimento para ambas as partes.

Finalizando, fica a dica: a escola não precisa de críticas e sim de parceria. Já os pais não precisam de julgamentos e sim de acolhimento.

Beijos iluminados.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *