Pais que constroem

Olá! Tudo bem com você?

No nosso último post, falamos sobre os pais que destroem a autoestima dos filhos. Se você perdeu esse tema, dê uma paradinha e leia antes de prosseguir.

Hoje trataremos da melhor parte, ou seja, dos pais que com atitudes positivas ajudam seus filhos a construir uma autoestima equilibrada que os farão adultos éticos e saudáveis.

Existem diversos tipos de comportamento positivos que os pais podem ter, entretanto, escolheremos 3 para tratar aqui, especificamente. São eles, os pais presentes, dialogadores, orientadores e os persistentes. Vamos conhecê-los?

  1. Pais/mães presentes: são aqueles que efetivamente estão presentes na vida de seus filhos, ainda que distantes fisicamente. São os que acompanham a vida escolar, conhecem os amigos da escola e também os pais desses amigos, estão atentos ao conteúdo que os filhos assistem na internet ou na TV, colocam os filhos para dormir, dão um beijo de boa noite e, quando estão distantes de casa, ligam para falar com os filhos.
  2. Pais/mães dialogadores: são os que conversam com os filhos sobre todos os assuntos, dos mais gerais até os mais específicos ou íntimos. Os pais dialogadores não apenas conversam com os filhos, eles os ouvem também, escutam as suas opiniões e discutem juntos com os filhos sobre problemas diversos e as formas mais adequadas de resolverem os problemas juntos.
  3. Pais/mães orientadores: são aqueles que orientam sem impôr suas opiniões. São os que aconselham sem intimidar ou humilhar. Estão atentos aos erros dos filhos para auxiliá-los, mas também reconhecem suas virtudes e os estimulam por seus acertos. Esses pais estão sempre prontos para acolher os filhos, com uma orientação correta e amorosa. São carinhosos, porém, firmes em suas decisões e orientações.
  4. Pais/mães persistentes: esses pais vão além da paciência. Estão sempre prontos a recomeçar se preciso for. Nunca desistem de seus filhos e não se importam de terem que repetir as mesmas orientações por várias e várias vezes. Sabem a hora de falar e também conhecem a hora de calar, de respeitar a individualidade de seus filhos sem perder a sua autoridade de pai ou mãe.

E então? Que tipo de pai/mãe você é? Em quais características você se enquadra? Já pensou a respeito? O ideal é que tentemos agir de modo a exercer um pouco de cada comportamento com nossos filhos. Todos são fundamentais para que nossas crianças cresçam saudáveis emocionalmente.

Vale a pena começar hoje mesmo…

Beijos iluminados!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *