Como lidar com a agressividade de seu (a) filho (a)

 Sua criança demonstra ira? Costuma ter um comportamento agressivo? Grita, chuta ou morde?

Se essas são atitudes comuns em sua casa, saiba que há como resolver esse problema e garantir tranquilidade em seu ambiente doméstico. Confira a seguir as nossas dicas.

A agressividade infantil é um problema que afeta muitas crianças e deixa os pais sem reação por não saberem como lidar com a questão. E tal agressividade não significa que sua criança tenha má índole, ela pode estar apenas vivenciando um conflito interno e precisa da sua ajuda para compreender o que está sentindo e superar a crise interior.

A agressividade infantil não surge da noite para o dia e a criança começa a dar pequenos sinais, na esperança de que alguém lhe ajude, a fim de superar o mal estar que acaba por tirar-lhe a paz.

A criança, na maioria das vezes, não consegue resolver seus conflitos internos sem a intervenção de um adulto, ou seja, aquele que possui maior contato com ela.

Assim, é necessário que percebamos os primeiros sinais e identifiquemos os sentimentos que estão por trás do comportamento agressivo.

Nesse caso, se você ainda não reconhece esses sinais, procure observar em quais situações sua criança apresenta o comportamento agressivo.

Alguns dos principais motivos da agressividade são: incapacidade de lidar com a frustração, incapacidade de comunicar-se adequadamente e incapacidade de relacionar-se com o outro.

Nesses casos específicos, podemos resolver o problema seguindo alguns passos importantes e simples de serem aplicados.

Primeiramente, se sua criança demonstra incapacidade de lidar com a frustração, verifique a sua reação ao ouvir a palavra NÃO. Se ela demonstra agressividade todas as vezes em que é contrariada, é hora de rever suas atitudes. Mantenha a sua palavra, independentemente de sua reação. Possivelmente, ela tentará fazer birra, gritar, espernear, se jogar no chão, etc. Nesse momento, mantenha a calma, espere até que ela se tranquilize e explique à ela que esse comportamento não é aceitável. E que você não recuará diante do seu mau comportamento.

Em seguida, após a crise passar, aconchegue-a junto a você e explique à ela que as pessoas educadas como ela (é importante que ela se sinta uma pessoa educada e essa frase irá estimulá-la a se esforçar para demonstrar um melhor comportamento) resolvem seus conflitos conversando. Assim, pergunte à ela o que deseja e se for algo que você possa atender, atenda. Caso contrário, explique que aquilo não é possível e diga o motivo para que ela entenda.

Após esse processo, abrace-a e diga-lhe o quanto a ama e o quanto você deseja que ela seja feliz. Diga-lhe também que você estará sempre pronto (a) a ajudar-lhe, nos momentos bons e nos ruins também. Isso fará com que ela entenda que você a amará sempre, ainda que não atenda às suas vontades.

Finalmente, se sua criança tem dificuldade em ceder ou relacionar-se com outras crianças, tendendo a querer sempre que sua vontade prevaleça, diga à ela que às vezes é necessário abrir mão do que desejamos para que possamos conviver com outras pessoas. E que devemos fazer aos outros aquilo que desejamos que nos seja feito. Essa é a maior regra de convivência que ela deve entender e praticar.

Cabe salientar que, o seu carinho e a sua calma, ao lidar com o estresse momentâneo de sua criança serão fundamentais para que a crise seja superada e que ela entenda que a melhor maneira de resolver seus conflitos é comunicar-se adequadamente.

Esperamos que com esses procedimentos você possa ajudar à sua criança a manter o equilíbrio emocional e resolver seus primeiros conflitos.

Um grande abraço e até a próxima!

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *