A importância da afetividade na educação infantil

Olá! Tudo bem com você?

Hoje abordaremos um tema específico da educação infantil. Se você é professor (a) ou coordenador (a) pedagógico (a) dessa fase, esse post é pra você.

Se você é mãe/pai de crianças que estão na educação infantil, fique atento às dicas que daremos sobre a importante relação entre professor e aluno nessa fase da infância.

Inicialmente, gostaríamos de esclarecer (se é que ainda existe alguma dúvida sobre isso) que a educação infantil não serve apenas para socializar. Os estudos apontam que quanto mais cedo você estimular a capacidade cognitiva de sua criança, melhor será o seu processo de desenvolvimento integral.

Assim, é importante que consideremos alguns aspectos essenciais para que esse desenvolvimento integral seja conduzido de forma qualitativa e, nesse caso, a afetividade é o grande diferencial.

Mas por quê?

Conforme esclarecem A. L. Oliveira & S. F. Cruz (2019), “a relação professor/aluno está revestida de afeto“. Segundo as autoras, esta é uma relação transferencial. E o que quer dizer isso? Significa que em sala de aula, a criança tende a reproduzir a sua relação original com seus próprios pais, “transferindo para o professor todo o amor e/ou hostilidade que um dia teve que abrir mão para ingressar em um mundo social”.

Pestalozzi, grande educador suíço, afirmava que a escola deveria se parecer com uma casa organizada, com o ambiente familiar, envolvido numa atmosfera de segurança e afeto. Segundo ele, a família era a melhor instituição de educação. Pestalozzi valorizava o amor, principalmente, o materno. Em sua concepção, sentimentos / emoções tinham grande importância, o que despertava o processo de aprendizagem de forma autônoma no indivíduo. Incontri (1990).

Considerando todas essas informações e os conceitos trazidos pela neurociência que nos alerta sobre a importância da afetividade e da emoção para a aprendizagem, gostaríamos de relembrar que esse trabalho é conduzido de forma peculiar na educação infantil. A relação entre professor e aluno nessa fase é extremamente significativa para a formação integral da criança que levará para toda a sua vida essas impressões iniciais, sejam elas positivas ou negativas.

Se você é professor da educação infantil, use e abuse da afetividade e de toda a conexão emocional que puder com seus alunos. Isso trará resultados muito positivos para a aprendizagem e consequente desenvolvimento cognitivo da turma.

E se você é pai/mãe de crianças nessa fase, observe como anda a relação de sua criança com a professora. Caso não haja essa conexão emocional, recomendamos que procure a coordenação pedagógica para que seja feito um remanejamento de sala. Afinal, se sabemos que a emoção é fundamental para o desenvolvimento, vale a pena investir numa relação afetiva produtiva, não é verdade?

Ficamos por aqui. Beijos iluminados!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *