3 Mitos da Infância (Parte 3)

Oi!!!! Como vai você??? Tudo certinho? Espero que sim…

Você gostou dos nossos posts anteriores? Não deixe de enviar seus comentários…

Finalizando a nossa sequência sobre os mitos da infância, vamos refletir agora sobre um outro grande equívoco, ou seja, “menino é mais levado que menina“. Você concorda com essa crença???

Bem, sinceramente, ela também não faz o menor sentido…

Primeiramente, gostaria de ressaltar a importância de você identificar o que é uma criança “levada” e isso nós já tratamos lá no nosso primeiro post dessa série. Se você ainda não teve a oportunidade de ler, aqui está o link: 3 Mitos da Infância (Parte 1) Não deixe de conferir!!!

Prosseguindo, é preciso esclarecer o seguinte aspecto: o que faz com que uma criança tenha ou desenvolva um comportamento inadequado não é a sua condição, seja essa o seu gênero (masculino ou feminino), sua classe social, sua cor da pele ou nacionalidade. O que “transforma” ou “deforma” o comportamento de uma criança é a orientação ou ausência de orientação que ela recebe de seus familiares, ainda nos primeiros anos de vida.

Se uma criança recebe a orientação adequada daqueles com quem convive, certamente responderá positivamente aos estímulos recebidos. Mas nesse momento você pode pensar: que estímulos eu devo dar ao meu filho ou à minha filha para que ele (a) se comporte da maneira adequada???

Se você está em dúvida ou desconhece quais são os estímulos mais adequados, seguem algumas excelentes dicas:

  • estabeleça regras claras de comportamento, de hábitos e de convivência e seja coerente cumprindo igualmente essas regras. É importante que a criança veja o seu exemplo para que ela incorpore o hábito como sendo natural;
  • elogie sempre que sua criança agir corretamente e oriente-a caso ela descumpra a regra, relembrando o combinado da família;
  • estabeleça as possíveis “multas”, juntamente com a criança para que ela entenda que quando uma regra é desrespeitada, poderemos ser penalizados. Dê exemplos do cotidiano, como uma multa aplicada caso você desrespeite as regras de trânsito;
  • antes de aplicar a “multa”, combine que irá alertá-la por 2 vezes. Na terceira, caso ela repita o comportamento equivocado, ela saberá que deverá ser penalizada. E cumpra! Nada pior para uma criança que o descumprimento de uma regra. Dessa forma, ela perderá a confiança em suas atitudes;
  • a “multa” deverá ser coerente ao comportamento inadequado e também à idade da criança. Por exemplo, a multa de ficar sentado em uma cadeira por determinado tempo (recomendável que seja 1 minuto por idade) funciona bem até uns 5 anos de idade, depois disso, perde-se a eficácia. Assim, se sua criança tiver acima de 5 anos, as multas mais coerentes deverão ser aquelas que deixarão a criança sem algo que ela gosta de fazer ou de brincar. Por exemplo, ficar sem TV durante determinado período, ou deixar de brincar com um amiguinho, etc;
  • lembre-se sempre de conversar com a criança após o término da “multa” a fim de esclarecer o motivo da penalidade e verificar se ela compreendeu que seu comportamento estava inadequado; e
  • finalmente, diga à sua criança que você a ama muito e que está fazendo isso porque deseja que ela seja um adulto equilibrado, feliz e que sabe respeitar regras.

Bem, ficamos por aqui… Se você deseja uma forcinha maior para sua criança, temos um vídeo em que a fada Clara fala diretamente ao seu (sua) filho (a) sobre a importância de ser obediente. Confira no link: Seja obediente !!!

Um abração!!! Nos vemos no próximo post…

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *